Digite o que procura

Câncer Colorretal: fique de olho nos seus hábitos e estilo de vida

29/03/2018
Compartilhar

Laço azul escuro: Câncer Colorretal

Cada vez mais, campanhas de prevenção contra o câncer têm alcançado grandes resultados em todo o país. As mobilizações fazem com que as pessoas criem um olhar diferenciado sobre o tema. E, no mês de março um novo alerta, um novo laço: o câncer colorretal com o laço azul escuro.

O câncer colorretal acomete o intestino grosso (cólon) e o reto. Grande parte desses tumores inicia a partir de pólipos, lesões benignas que podem crescer ao longo do tempo na parede interna do intestino grosso. Com o passar do tempo, essas lesões podem se tornar malignas. Se descobertos precocemente têm cura. O diagnóstico precoce e o tratamento adequado são os nossos grandes aliados contra essa doença.

casos câncer colorretal 2018: 36.360 Estimativa de novos casos em 2018: 36.360

Fatores de risco

O surgimento dos pólipos no intestino ou no reto, está diretamente relacionado à alimentação. Pólipos intestinais são lesões na parede interna do intestino, podendo ser planos ou elevados; benignos, cancerosos ou até vários tipos ao mesmo tempo. Acredita-se também que eles estejam relacionados a fatores hereditários, idade e o estilo de vida.

câncer colorretal acima de 50 anos O câncer colorretal tem maior chance de desenvolvimento em pessoas acima dos 50 anos de idade

Certos alimentos e bebidas contribuem com o aparecimento dos pólipos intestinais. Principalmente o excesso de álcool, alimentos gordurosos, conservantes químicos, carnes vermelhas ou processadas. Prefira uma dieta saudável, rica em vegetais, frutas e fibras. Pois, reduz o tempo de trânsito gastrointestinal e fortalece as defesas do corpo. Além disso, a prática regular de exercícios físicos também é um fator protetor contra a doença.

O principal exame complementar a ser realizado é a colonoscopia

O alerta dos sintomas

Na fase inicial, o câncer colorretal costuma ser assintomático. As manifestações dos sintomas acontecem quando, normalmente, o tumor já está em estágio avançado. E são diferentes de acordo com a localização do tumor. Fique atento com os sintomas. Quanto antes o câncer for diagnosticado e tratado, maior a chance de cura. Por isso a importância de procurar um médico especialista em caso de dúvida.

  • Sangue nas fezes
  • Anemia sem causa aparente, principalmente em pessoas com mais de 50 anos
  • Alterações no hábito intestinal (diarreia ou intestino preso)
  • Desconforto abdominal com gases ou cólicas
  • Permanência da vontade de evacuar mesmo após a evacuação
  • Emagrecimento intenso e sem razão
  • Fraqueza
  • Fezes pastosas e escuras
  • Sensação de dor na região anal

O diagnóstico molecular

Um dos grandes avanços da medicina moderna foi a utilização da análise molecular para a detecção de alguns tipos de câncer. Devido à alta precisão e especificidade da metodologia utilizada – PCR em Tempo Real – o diagnóstico molecular é indicado para a fase de análise inicial da doença como para o monitoramento.

A alta sensibilidade do teste permite quantificar a percentagem de células neoplásicas presentes no organismo. Particularmente, esse dado é importante para a fase de monitoramento, pois é possível acompanhar a eficiência e a resposta do paciente ao tratamento escolhido.

Tags:

Você pode gostar também