Digite o que procura

O que é Biologia Molecular e onde se aplica? Parte 2

26/02/2018
Compartilhar

Reunimos em 3 artigos muita informação e curiosidades sobre a biologia molecular. O que é? Como surgiu? Os principais acontecimentos, descobertas e inovações que marcaram época e contribuíram para biologia molecular revolucionar inúmeras áreas. E onde encontramos? Muito mais próxima do que imaginamos. Destacamos algumas profissões que atuam diretamente com a biologia molecular. Perdeu algum artigo? Confira aqui a parte 1 e a parte 3.

Chegamos na segunda parte da nossa série sobre a biologia molecular.  Você sabia que existem mais de 30 habilitações na biomedicina nos mais diferentes ramos que se utilizam da BioMol? Lembra de alguma que falamos no primeiro texto? Então relembre conosco:

Nessa segunda parte, além de mostrar mais algumas áreas interessantes onde a biologia molecular é aplicada, vamos fazer uma “timeline” dos principais acontecimentos científicos na história que contribuíram para o surgimento e desenvolvimento da biologia molecular. Acompanhe com a gente.

O nascimento da biologia molecular

1866
Gregor Mendel desenvolveu a lei da herança (ervilhas)
1869
Friedrich Miescher descobre o ácido nucleico.
1934
Schlesinger demonstra que os vírus bacteriófagos consistem de proteína e ácidos nucléicos.
1935
Divulgação do modelo quântico de mutação gênica por Delbrück, Timoféeff-Ressovsky e K. G. Zimmer (About the Nature of the Gen Mutation and the Gene Structure).
1935
Wendell Stanley (biólogo) consegue cristalizar o vírus do tabaco, uma “molécula viva”.
1936
Primeira Physico-Biological Conference em Copenhagen, estimulada por Niels Bohr.
1938
Warren Weaver usa pela primeira vez o termo biologia molecular para designar um programa de financiamento da Rockfeller Foundation para pesquisas em matemática, física e química que contribuíssem para a biologia.
1940
Invenção do microscópio eletrônico.
1942
Primeiras microfotografias de partículas virais (Luria & Anderson)
1944
Avery, MacLeod e McCarthy mostraram que as informações genéticas estavam guardadas no DNA.
1946
Joshua Lederberg e Edward Tatum anunciam evidências para a recombinação genética em bactérias no Symposium on Quantitave Biology.
1953
J. Watson, F. Crick e M. Wilkins anunciam a estrutura de dupla hélice do DNA.
1962
J. Watson, F. Crick e M. Wilkins ganham o Prêmio Nobel de Fisiologia e Medicina por suas descobertas.
1966
Marshall Nirenberg e Har Khorana decifram o código genético humano.
1972
Stanley Cohen e Herbert Boyer desenvolvem a tecnologia de DNA recombinante.
1982
Richard Palmiter e Ralph Brinster criaram o primeiro exemplar vivo de clonagem.
1983
Kary Mullis inventa a Reação em Cadeia da Polimerase (PCR).
1985
Alec Jeffreys desenvolve a técnica de impressão digital por DNA.
1990
Começa o Projeto Genoma.
1996
Ian Wilmut clona um mamífero, a ovelha Dolly.
2001
Cientistas realizam o mapeamento de 99% do genoma humano.
2010
Craig Venter cria primeira forma de vida “sintética” em laboratório.

As diferentes áreas de atuação

Embriologia e Reprodução Humana

A Reprodução Humana in vitro é um conjunto de técnicas que permite a viabilização da gestação em casais com complicações na reprodução por causa da infertilidade. E cabe aos embriologistas investigar os diversos aspectos da fertilidade, bem como a sua deficiência. Entre as principais técnicas, estão a inseminação artificial (IA), quando a fecundação ocorre no corpo da paciente, e a fertilização in vitro (FIV), quando a fertilização ocorre em ambiente laboratorial.

Para que tudo ocorra bem e o bebe nasça saudável, é fundamental a análise genética dos embriões para identificar qualquer má formação ou doença. Cabe aos embriologistas: coleta e manutenção dos gametas dos pacientes, micromanipulação e teste de adequação, preparação de gametas e do meio para a FIV e facilitação de fertilização, monitoramento do desenvolvimento embrionário, seleção de embriões para transferência para as mulheres beneficiárias. E acima de tudo, a aplicação ética desses conhecimentos.

Estética

É um mercado que tem crescido constantemente no Brasil, que já se tornou o terceiro maior mercado para a biomedicina estética no mundo. A biomedicina estética cuida da saúde, bem-estar e beleza do paciente, levando os melhores recursos da saúde relacionados ao seu amplo conhecimento para o tratamento e recuperação dos tecidos e do organismo como um todo.

O biomédico possui entendimento das características da derme, seus anexos, demais tecidos e do metabolismo, possibilitando a realização de terapias que promovem uma melhor qualidade de vida ao paciente.

Os procedimentos realizados podem ser: procedimentos injetáveis, perfurocortantes e escarificantes não invasivos (carboxiterapia, aplicação do Botox®), laserterapia (remoção de tatuagens e maquiagem definitiva), eletroterapia, avaliação e consulta estética e peelings.

Imunologia

A imunologia é o estudo do mecanismo de proteção do nosso organismo contra doenças causadas por micro-organismos, parasitas e outra partículas nocivas. O imunologista pode atuar em laboratórios de imunologia clínica no diagnóstico de doenças infecciosas, autoimunes, alergias e inflamações, entre outras. Pode atuar também na pesquisa científica para o desenvolvimento de vacinas, reagentes, medicamentos de última geração, técnicas de diagnóstico e histocompatibilidade. Tudo isso é desenvolvido sob os 3 pilares da imunologia: a imunodeficiência (quando não há a resposta adequada do sistema imunológico), a auto-imunidade (o corpo ataca o próprio tecido que é destinado a defesa) e a hipersensibilidade (o organismo responde de forma intensa a compostos inofensivos).

Perfusão Extracorpórea

Perfusão ou Circulação Extracorpórea (CEC) é um sistema artificial baseado na substituição temporária da função do coração e dos pulmões durante um processo cirúrgico para manter a circulação e oxigenação do corpo. O perfusionista é um profissional treinado e capacitado para operar e testar o maquinário, sendo responsável pela manutenção das atividades vitais do organismo do paciente durante a cirurgia.

O sangue venoso é desviado do coração e dos pulmões ao chegar ao átrio direito por cânulas colocadas nas veias cavas superior e inferior, levando o sangue venoso até o oxigenador. Através de um percurso por câmaras especiais, o sangue recebe oxigênio e elimina o gás carbônico e, em seguida, é coletado para ser reinfundido no paciente. Do oxigenador, o sangue é bombeado para o paciente pela aorta ascendente, de onde percorre todo o corpo cedendo oxigênio aos tecidos e órgãos e recolhendo o dióxido de carbono neles produzidos, cumprindo o papel do sistema circulatório.

Bioinformática

O profissional em bioinformática é raro no mercado, já que ele necessita saber e ser familiar a, pelo menos, três áreas distintas do conhecimento: a biologia molecular, a ciência da computação e a bioinformática em si. É uma área que oferece alternativas para o profissional seguir carreira tanto na pesquisa quanto no desenvolvimento e inovação.

Algumas funções incluem o desenvolvimento de métodos para analisar os dados biológicos e a criação de base de dados com essas informações. Desenvolvem simulações dinâmicas e realizam padrões de análise, criando métodos e algoritmos para identificar e classificar componentes em um sistema de dados para pesquisas. A criação de programas de gerenciamento laboratorial e hospitalar também pode caber ao profissional da bioinformática.

Tags:

Você pode gostar também